De passagem

No moinho de trigo à minha frente descarregavam o caminhão às sete da manhã. 
Eram três os homens que faziam o trabalho. 
No moinho os pombos comiam e me olhavam. 
Olhavam para os três homens, para o caminhão e pra mim. 

No trem que deixava a estação, das janelas os passageiros olhavam para os  três homens,  para o caminhão e para os pombos. 

Do meu ponto eu via os homens, do meu ponto eu via os pombos; 
do moinho os pombos viam o trem; 
do trem os pombos eram olhados. 

E todos saímos dali.

 

Professor particular de inglês em Curitiba